10 dias em Londres

Oi meninas. Sumi, eu sei. Mas agora tenho quase certeza que as coisas por aqui ficarão mais tranquilas. Logo no meu segundo dia em Londres achei uma casa incrível bem no lugar que eu queria. Foi tipo um milagre porque aqui, apesar de não ser difícil achar quartos para alugar, o grande problema é que eles geralmente são beeem caros. O que eu achei tinha um preço bem bacana e é super bem localizado então, achadíssimo!

Não contei direito para vocês mas vim para Londres sem nada arranjado. Simplesmente comprei minha passagem de ida a volta.  A maioria das pessoas me acha mega doida quando eu falo mas acho que a vontade de vir pra cá era tanta e há tanto tempo que não pensei duas vezes. Como não tinha tanto dinheiro assim, decidi que não iria por agência nenhuma. Ia na cara e na coragem. Na verdade, não tinha nem feito reserva em albergue nem nada. Cheguei em Londres sem onde ficar. Mas a cidade é incrível e, obviamente, em 1h tinha minha cama no hostel reservada. Sei lá, me deu a louca e imaginei que a cidade oferecesse tantas opções que não iam me faltar oportunidades de me virar por aqui. E foi o que aconteceu. Não sei se a sorte me sorriu ou se quando você quer uma coisa com toda a sua força ela realmente acontece, mas a verdade é que tudo tem dado super certo por aqui. Vim sozinha, sem conhecer ninguém na cidade, sem muuuuito dinheiro e ainda sem lugar pra ficar. E, no final, tudo deu mega certo. Agora quero que vocês conheçam minha casa nova durante a temporada de Londres. Preparem-se porque o post é cheeeeio de fotos!A casinha é beeem fofa e muito delícia. Tem dois andares e moro no segundo, num quarto bem fofo mas que precisa de uma decoraçãozinha:

Esse é o meu quarto. Amei, amei e amei…

E o jardim!

oltinha no centro de Londres no sábado…beleza por todos os lados, delícia!

Além do fish and chips, que provei no meu primeiro dia aqui, decidi comer um prato típico inglês: o english breakfast. Só não sei como alguém consegue comer isso de café da manhã porque eu mesma comi as 17h e fiquei passando mal o resto da noite. Não é ruim mas não é bem aquele tipo de comida leve…hehehe

O que eu comi tinha torradas, ovos, bacon, feijão, um negócio que não reconheci e linguiça. Só! heheheTá difícil me adaptar na hora de me vestir: trouxe pouquíssimas coisas, tem dias que o frio é tanto que dá vontade de ir de cobertor enrolado – e provavelmente não seria suficiente. Mas acho que logo me acostumo e tiro fotos de alguns looks…quem sabe? Esse foi usado pra ir tomar um vinhozinho por aí e estrear o tênis novo de onça e spikes que eu comprei na Primark. Logo logo ele vai aparecer por aqui com detalhes…

Look: Camisa de seda do brechó Lupércio Luppi (Londrina) • Saia Zoomp (antiiiiga) • Bolsa Mercado San Telmo (Buenos Aires) • Cardigan Zara • Tênis Primark (10 libras…uns 35 reais)

Ida ao Golders Hill Park…o dia estava lindo quando chegamos mas em meia hora o tempo virou e…choveu! Hunf…

E no sábado começaram as comemorações para o Halloween, que, pelo visto, irão até a semana que vem. Pra dar um migué, fiz um olho à lá Amy Winehouse e, se me perguntassem, essa seria minha fantasia. #sónotruque

E minha companhia foi a leitora que agora virou amiga, a Amanda. Ela até mandou uns achados de brechó daqui de Londres, lembram? Acabamos nos conhecendo aqui e já demos várias voltinhas pela cidade.

E, por fim, um caramel macchiato tamanho EG! Gente, tinha uns 500 ml nessa caneca, surreal e delicioso 😛

Bom, esse foi um resumo da última semana e do fim de semana. A grande novidade é que consegui um emprego! Vou trabalhar na loja Bershka (mesmo estilo da Zara) e tô mega feliz…logo mais conto como é meu dia a dia no trabalho, começo na quinta.

Vocês gostam desse tipo de post ou ele é desnecessário?

Beijo, Naiá

Primeiras compras de Londres

Oi meninas! Estou um pouco sumida mas, assim que tudo ficar normal por aqui prometo aparecer com várias dicas da Inglaterra pra vocês! Enquanto não arranjo um emprego, estou comprando pouca coisa mas não resisto àquelas coisinhas baratas e fofas, né?

Vou mostrar um pouco dos itens baratinhos daqui:

 

Já falei no outro post que sou viciada na loja “Poundland”, né? Todos os itens foram comprados por 1 pound (1 libra, R$3.60) Só o balm rosa não é da Poundland, é da Boots, mas também custou 1 libra.

Vocês acreditam que comprei produtos ‘genéricos’ dos da benefit por R$3,50? Esse blush líquido é bem parecido com o da Benefit e o iluminador ainda não testei! E esse bronzeador em bolinha? Bafo! Estou adorando e me sentindo “a bronzeada” aqui. O shampoo da Swarzploft (não consigo pronunciar Schwarzkopf nem por decreto) também foi 1 pound, ô beleza! Já testei e é bom demaaaaaaaaaais!

Já comprei algumas coisas nos brechós e logo posto aqui pra vocês! Ainda estou acostumando a postar daqui, portanto, por favor, perdoem!

Beijo, Naiá

 

Notícias de Londres…

Pois é. Cheguei. Já deu tempo de me apaixonar pela cidade, de fazer umas comprinhas, de comer o famoso fish n chips, de torrar em libras (que valem mais do que barras de ouro!) e, claro, de escolher minha lojinha preferida: Poundland. É tipo a loja de R$1,99 no Brasil MASSSSSSSSSS sem coisinhas mequetrefes do Paraguai. São coisas ótimas, desde lanches, passando por maquiagens, shampoos e etc e até fantasia de Halloween por incríveis uma libra (ou um pound, pro nome da loja fazer sentido…). É tipo surtante. Tenho vontade de comprar tudo.

Agora um resumo em fotos dos meus quatro primeiros dias:Ainda no Brasil: foto com os meus lindos, meus pais, minha irmã e meu namorado. Difícil deixar todo mundo aí…entrar naquela sala de embarque foi tenso!

A viagem é bem mais rápida e confortável do que eu pensava…tentei tomar um vinho branco pra acalmar mas êta treco ruim viu? Também consegui assistir Coco antes de Chanel e é muito bacana, recomendo! Adorei a seleção de filmes do avião e, se a viagem durasse umas 40 horas eu ia aproveitar. Já tinha visto uma série no GNT que contava toda a vida dela e gostei muito dos dois filmes, duas abordagens bem diferentes dela…talvez Coco antes de Chanel seja um pouco mais superficial mas, de qualquer forma, é interessante conhecer tudo que ela fez e precisou enfrentar antes de virar um dos maiores ícones da moda…O mapinha da ansiedade e a visão pouco antes de pousar…ansiedade pura!

 

Depois de uma SUPER epopéia pra chegar onde eu queria cheia de malas e de metrô, cheguei em Shepherds Bush, uma região que já amei de cara. Ia ficar nesse albergue-pub que chama St. Christophers Inn mas não tinha mais vaga!Até arranjar outro albergue decidi experimentar um dos ‘pratos típicos’ ingleses…o famoso Fish and Chips. Gostoso mas muito muito gorduroso! heehehe Depois de quase 24h entre a viagem e tudo mais, consegui um albergue! Fiquei em um bem perto, próximo ao Royal Albert Hall e vários museus legais, chamado Astor Hyde Park e minha experiência foi bem bacana! Os quartos eram mistos com seis camas e um banheiro e com certeza ficaria em um hostel novamente!

Olha só o quarto:

 

Dando uma voltinha no meu primeiro dia oficial em Londres. Tudo lindo, estou apaixonada! E já conhecendo os brechós pelas redondezas! Logo mando mais notícias! Beeeijo!

Resultado sorteio Ballasox

Desculpem a demora pelo sorteio…avisei a vencedora pela página do Moda Possível no facebook e fiquei devendo o anúncio por aqui.

Fiz o sorteio duas vezes porque a primeira vencedora estava inscrita duas vezes. E a feliz ganhadora da Ballasox foi a Jéssica Narielly, de Santo Antônio da Platina, no Paraná. A Jessica já respondeu meu email e logo logo estará recebendo sua Ballasox. Parabéns, Jessica, tenho certeza que você vai amar.

E para quem não ganhou, logo teremos mais sorteios aqui no blog.

 

Meu achado no bazar Samburá

É, acho que descobri que meu ponto fraco são bolsas. Impressionante, toda vez volto de um brechó com uma – ou mais que uma – nova para a coleção. Sempre está faltando alguma para a já imensa coleção mas é irresistível.

Para quem acompanha o blog pelo facebook (curte aí!) , essa bolsa não é novidade nenhuma. Mas para quem não viu, essa foi a minha compra no bazar Samburá: uma bolsa creme fofa de tudo. Tenho uma bolsa parecida e sei que essa cor suja demais – não é, obviamente, como uma bolsa preta que nunca suja – mas é uma cor excelente para aqueles looks básicos que tanto gosto.

É daquelas bolsas meio utilitárias, bem antiguinhas. Cabe pouca coisa, mas é mega fofa…e custou só R$5.

Lembrando que o bazar Samburá está localizado na Rua França Pinto, número 783, na Vila Mariana, em São Paulo. O número para contato é o (11) 5908-7899 e eles funcionam de segunda a sexta das 9h às 17h e aos sábados das 9h às 16h.

E aí, curtiram a escolha? Vocês também tem paixão por bolsas, principalmente as de brechó?

Naiá

Brechó em São Paulo: Samburá

Finalmente visitei o famooso bazar Samburá, em São Paulo. Já tinham me falado dele e, um dia, consegui dar uma passadinha lá e ver se valia a visita para indicar aqui no blog. E vale. Olhem só:Ps: Foto retirada deste link, esqueci de tirar foto da entrada. 

O Bazar Samburá é um bazar beneficente em prol do centro de reabilitação médica do Lar Escola São Francisco. Todos os meses, atendem cerca de 17 mil pessoas com problemas deficiência física permanente ou temporária. Gente pra caramba! Para vocês terem uma ideia de como um bazar pode beneficiar muito mais gente do que imaginamos, não tinha ideia que tanta gente era beneficiada…bacana demais!

Quando fui, tirei foto só da parte de roupas, mas o lugar é imenso e tem de tudo: móveis, brinquedos, artigos de decoração, livros, eletrônicos, enfim. Já vi muita gente falar que lá é um lugar super bacana para comprar móveis usados pelo preço, que não é super barato, mas é bem melhor do que as lojas de móveis usados de São Paulo. As roupas variam de R$5 a R$15 reais em média e vi itens em ótimo estado.

O bazar Samburá fica na Rua França Pinto, número 783, na Vila Mariana, em São Paulo. Para contato, o número é o (11) 5908-7899. Eles funcionam de segunda a sexta das 9h às 17h e aos sábados das 9h às 16h.

Naiá

Eu vou, mas volto!

Mais uma novidade aqui no blog… Não contei nada porque ainda tinha muita coisa para postar de Buenos Aires mas hoje embarco para a maior aventura da minha vida! Vou morar quatro meses sozinha em Londres, a cidade que sempre sonhei em conhecer e que sempre permeou meus maiores sonhos de viagem. Vou com toda a coragem que tenho – e que não tenho – pra fazer o que sempre quis fazer: viver fora do Brasil por um tempo. E passar perrengue!

Mas não pensem que vocês se livrarão de mim não. Com certeza, o ritmo do blog ficará bem diferente e será difícil manter os posts diários, mas não vou deixar de postar, pelo menos, 3 vezes por semana aqui. Vou tentar dividir com vocês meu dia a dia e, lógico, os brechós londrinos. Vou lá para trabalhar e melhorar o inglês então, a correria será grande. Peço bastante paciência com o blog, mas isso é uma coisa tão importante e parte de um sonho tão especial que conto com vocês!

Enquanto vou me adaptando por lá, agendei alguns posts aqui no blog para vocês não sentirem tanto a minha ausência. E vou postando as novidades em tempo real no instagram, @naiaaiello.

Beijo, me desejem sorte que vou precisar muito.

Compras de make em Buenos

Decidi que iria renovar um pouco meu estoque maquiagem na viagem pra Buenos Aires. Além de super baratas, fazia um tempão que não comprava algo novo pra minha necessaire. A Fê, amiga da minha irmã e quase uma local por lá, me indicou um lugar que realmente fez a minha alegria na cidade: a Farmacity. Dito e feito,  era impossível passar um dia sem dar uma passadinha na farmácia que está espalhada por todos os cantos da capital argentina. Às vezes, passava horas por lá e nem percebia. E agora vou mostrar o que escolhi, não foi tanta coisa, mas acho inútil ficar comprando um milhão de coisas sendo que tenho outras que servem para a mesma finalidade em casa. Comprei itens que gostei e que estavam acabando e outros que ainda não tinha:

1. A única compra do freeshop foi esse blot da MAC, um dos itens que mais amo da marca, tipo um pó finalizador que tira o brilho de oleosidade da pele. Nunca achei um produto similar e mais barato, portanto, sou fiel ao da MAC. Custou trinta dólares.

2. Rímel alongador – e de onça –  da marca própria da Farmacity. É bem ok e custou só 23 pesos (9 reais mais ou menos).

3. Rímel transparente comprado na loja Todo Moda, uma lojinha bem fofa de acessórios que tem em vários lugares na cidade. Custou 12 pesos (4 reais mais ou menos.

4 e 11. Sou tipo a pessoa mais viciada em balm do mundo. Como sempre tinha ouvido falar do Chapstick e nunca tinha visto pra comprar no Brasil, comprei logo três. Custaram 17 pesos cada um, cerca de 7 reais.

5. Rímel baratéx Great Lash da Maybelline que ainda não testei. Foi 30 pesos, uns 12 reais.

6. Lápis preto da marca própria da Farmacity, foi o item que menos curti. Bem fraquinho, sorte que foi baratinho: 20 pesos, que dá uns 9 reais.

7. Rímel (aloka do rímel, né?) da loja Todo Moda também. Foi 12 pesos, uns 4 realitos e é bonzinho viu.Todas as minhas máscaras estavam acabando, por isso fiz um mini estoque!

8. Bronzer da linha própria Farmacity que só usei uma vez e amei! Não estou muito acostumada a passar bronzer e comprei esse mais pra testar… custou 30 pesos que dá, mais ou menos, doze reais.

9. Amor por esse “corretivo que trata a pele” da Maybelline. Chama Instant Age Rewind – amo esses nomes escalafobéticos que prometem mundos e fundos em inglês – é levinho e estou adorando. Foi bem barato: 49 pesos que não dá nem 20 reais.

10. Sempre quis um corretivo amarelo e realizei esse sonho de vida (ô drama!) lá na Farmacity. Se não me engano, foi 36 pesos (quase 15 reais). Combinado com o corretivo número 9, tá sendo o salvador da minhas olheiras que andam sinistras.

Esqueci de colocar na montagem mas comprei um adstringente e uns lencinhos pra remover maquiagem que custaram uns 20 pesos cada um.

Acho que no final das contas gastei mais com presentinhos pro pessoal do que com coisas pra mim. É tão legal trazer presente de viagens e eu me empolgava tanto pensando as coisas que eram a cara de alguém ou como a pessoa ia gostar de ganhar. Mas comprei praticamente tudo o que queria de maquiagem, todos itens baratinhos e que uso no dia a dia.

Enfim, fui contida ou exagerei nas compras? hehehe

Naiá

Look de ontem: de calça rosa

Hoje é meu último look do dia tendo como cenário – lindo, por sinal – o centro histórico de Paraty. Vou mudar daqui e já sinto saudade do céu azul e do colorido das casas por ali. Morar na casa dos meus pais tem desses privilégios, entre tantos outros, de viver em uma cidade tão bacana quanto Paraty. Mas, deixando a nostalgia de lado, fazia um tempinho que um look do dia não aparecia no blog. Decidi, apesar do calor, vestir minha calça “rosa” (ainda estou teorizando sobre a cor da calça, se é um pastel, um neon, um salmão ou tudo junto e misturado). Apesar de não usar peças românticas com frequência – passo longe de um babado, renda ou modelagem muito menininha – já usei muito a calça e a cor é bem fácil de combinar e, diferente do que eu imaginava, não destoa tanto do meu estilo assim. E ainda por cima montei, sem querer, um look basicamente feito com peças de brechó 😉

Calça – Loja La Luna (Buenos Aires) R$90
Blusa – Brechó da Adriana (Paraty) R$1
Cinto – Brechó da Adriana (Paraty) R$1
Bolsa – Stands de usados do Mercado de San Telmo (Buenos Aires) R$35
Rasteira – Brechó virtual Guarda-roupa da Lu (que, aparentemente, não existe mais) R$50

Mais um look simples de tudo e com peças que podem ser achadas em qualquer lugar, principalmente nos brechós.

As escolhas da Paróquia São Luís Gonzaga

Curiosas para saber o que escolhi na minha ida ao brechó da Paróquia São Luís Gonzaga? Como consegui ir no penúltimo dia, acredito que as melhores peças já tinham ido, mas com paciência e muito garimpo achei duas peças que amei:Saia listrada em bege e branco por R$3Blusa bege acinzentada (já usei muito!) da Renner por R$10.

No final da compra, a moça do caixa até reparou que as peças combinam, oun. hehehe

O próximo bazar vai rolar de 22 a 26 de outubro lá na Paróquia durante o dia. Fica na Avenida Paulista, número 2378, no cruzamento com a Bela Cintra e o telefone para contato da igreja é o (11) 3120-3839.

Sorteio Ballasox

Desde que recebi as minhas sapatilhas Ballasox não penso em usar outra coisa. Elas são minha opção porque, além de mega confortáveis, são lindas e combinam com tudo. Por isso, fiquei super feliz com a possibilidade de poder sortear um par de Ballasox para alguma leitora do blog! Demais…

A ganhadora vai levar a sapatilha igualzinha à minha…um amarelo incrível e super atual!Linda, né?

Já usei muito a minha e ela já apareceu aqui no blog. Separei alguns looks com ela para vocês lembrarem:

As regras:

  • Residir no Brasil
  • Preencher corretamente o formulário
  • É perimitido apenas uma participação por pessoa

O resultado do sorteio será anunciado no dia 18 de outubro e a vencedora terá 48h para responder o email.

Meninas, sigam também a Ballasox no facebook e no twitter!

Boa sorte!

UPDATE: A ganhadora irá escolher a numeração da sapatilha, ok?

Brechó em São Paulo: Paróquia São Luís Gonzaga

Vocês lembram daquela participação especial da leitora Roberta Barrocas sobre um brechó em plena Avenida Paulista? Sempre procurei algum brechó baratéx na região e decidi conferir logo no dia seguinte e contar para vocês. Realmente, a Roberta mandou uma super dica pro blog e eu amei. 

O brechó em questão acontece mensalmente na Paróquia São Luís Gonzaga, ali na entrada do lado direito, próxima à recepção. Cada mês o bazar ocorre em uma data e são as instituições vinculadas à paróquia as responsáveis por organizá-los. 

O brechó é apoiado pela paróquia e organizado por voluntários das instituições. Quando fui, tinha bastante gente por lá e acredito que o bazar seja bem conhecido. Aconselho a ir no primeiro ou segundo dia para aproveitar as melhores peças. Anota aí: o próximo bazar vai acontecer de 22 a 26 de outubro lá na Paróquia durante o dia. Se você trabalha por ali, vale a pena dar uma escapadinha até lá durante o horário de almoço, hein? 

A Paróquia São Luís Gonzaga fica na Avenida Paulista, número 2378, no cruzamento com a Bela Cintra. Para saber quais os próximos bazares, o telefone para contato da igreja é o (11) 3120-3839.

As compras de Buenos Aires – roupas

Perguntei lá na fan page do blog (aqui!) se o post de hoje deveria ser sobre as roupas ou as maquiagens que comprei em Buenos Aires e a maioria votou nas roupas. Meu objetivo na viagem era, lógico, aproveitar a cidade, passear muito e não ficar só entrando em lojas o dia todo. Mas como é inevitável sair sem nenhuma compra, consegui riscar alguns itens da minha lista de desejos: a tal da calça colorida e uma legging estampada. 

A legging com estampa étnica não é uma peça fácil de usar não. Escolhi tons que amo, como o preto e o branco mas precisa ter muito cuidado pra não ficar meio Suellen.  Ainda estou pensando num look pra usar com ela mas não cheguei a uma conclusão. Custou 210 pesos que equivale a cerca de 80 reais e foi comprada na loja Ona Saez, na Avenida Santa Fé.

Já a calça colorida (não consegui definir a cor…às vezes acho que é um tom meio pastel, às vezes um tom neon beeem suave…que dúvida! o que acham? ) é uma peça bem fácil de usar. Prefiro misturar com tons neutros como o branco, bege, preto, cinza e variações que fica bem chique e não fica com aquela cara de Restart que eu tinha tanto medo. Foi comprada na loja La Luna, também na Avenida Santa Fé e custou 230 pesos, mais ou menos 90 reais.

A meia-calça de poás eu já estava querendo uma há algum tempo…foi 40 pesos, uns 15 reais.

A camiseta preta foi comprada na loja Todo Moda, uma loja bem baratinha de acessórios, makes e outras bugigangas que tem em vários lugares de Buenos Aires. É uma loja tem-que-ir! Custou 50 pesos – mais ou menos 20 reais.

Essas foram as comprinhas de Buenos Aires, fui contida, não fui? Vocês gostaram?

Naiá

Quando me apaixonei por Buenos Aires – parte 3

Último post da série do diário de viagem de Buenos Aires. O último dia foi bem legal e deu aquele aperto de ir embora… 

5º e último dia…zoo de Palermo. É, a carinha triste é pra definir a tristeza de saber que era o último dia, hunf. Pra começar o dia lindo, fui tomar um café da manhã responsa: croque monsieur vegetariano maravilhoso (não quero nem lembrar que dá fome!) e café com leite condensado dos deuses…ai ai! Depois fui pra Palermo porque minha primeira parada foi no zoológico…nunca fui vidrada em zoo mas adorei e é um passeio que vale a pena…e o dia estava perfeito.Parecia uma criança vidrada no elefante…deu até dó. O fofo era que podíamos comprar comprar comida para os animais e alguns ficavam soltos por aí. É um ótimo passeio para fazer com crianças ou com adultos de 24 anos que agem como uma no zoológico (oi? eu?).

Ainda na terça-feira, dei uma passadinha no Brechó Juan Perez – um dos mais famosos de Buenos Aires e ah…não é o tipo de brechó que gosto. Não sou daquelas malucas por peças grifadas e lá é basicamente o objetivo. Fora que até peças sem marca custavam cerca de duzentos reais, oi? Entrei, olhei, analisei e fui embora…não vou indicar aqui um brechó que não curti. E os momentos finais: o vinhozinho (de novo! hahahahahaha) do jantar do último dia, o dilema de sentar em cima da mala para fechá-la e o belíssimo nascer do sol na hora de embarcar.

Espero que tenham gostado, qualquer dúvida é só mandar nos comentários.

Naiá

Quando me apaixonei por Buenos Aires – parte 2

Continuando o diário de viagem, os dias três e quatro foram sensacionais. Gente, não vai dar para fazer tudo em só dois posts, portanto, teremos três. Para começar a parte dois, o lugar que mais gostei…

3º dia – A maravilhosa de San Telmo. Comecei o dia bem cedo e já usei a minha calça nova comprada no dia anterior #ansiosa. Me arrumei e fui tomar café em um lugar que já conhecia, a Pizzaria Império. Que delícia! No caminho, já me deparei com uma dupla tocando jazz em pleno metrô. A primeira (boa) surpresa do dia que me fez abrir um baita de um sorriso sozinha, aquele sorriso aberto que fiz “que privilégio viver isso”. Adoro quando isso acontece, acho que é o momento, mesmo inconsciente, de agradecermos pelo que estamos vivendo, sabe? E viajar é um dos melhores jeito de contemplamos esses pequenos e mágicos instantes. Peguei um ônibus e cheguei em San Telmo, um dos lugares que mais queria ir durante a viagem. Conheci procurando por dicas na internet, todo mundo falava muito bem da tal da Feira de San Telmo. Juro que depois de me decepcionar um pouco com a da Recoleta, estava apreensiva de acontecer a mesma coisa. Mas não! A feira de San Telmo é tudo o que falaram e muito muito mais. É imensa (tem umas 8 quadras de extensão) e tem tudo tudo tudo de mais legal no mundo: artesanato, antiguidades, artigos novos e o que mais amei: música boa no meio da rua. Para vocês terem uma noção, tinha uma orquestra que tocava tango maravilhosamente bem fazendo uma apresentação bem lá no vuco-vuco da feira. Fiquei meio de queixo caído vendo aquela coisa linda acontecer bem em um lugar que não esperava. Na verdade, em quase todo lugar eu ficava boquiaberta com tanta beleza, mas juro que moraria lá tranquilamente. O melhor de tudo é o preço, que é ótimo em todas as barracas que vi. Fiquei umas três horas por lá e ficaria bem mais, mas é bem cansativo ficar passeando por tanto tempo. Para usados, acho que o melhor lugar é na própria rua da feira, mas dentro do Mercado San Telmo, que tem vários stands bacanas. Foi lá que comprei a bolsa que falei aqui. A primeira foto é do Mercado, a segunda do meu almoço (com vinho, claro…só tô postando foto de bebida aqui, vocês vão me achar uma cachaceira). A terceira é meu café do amor, muito fofo…e a última da orquestra tocando tango no meio da rua, de arrepiar!

Lá comprei lembrancinhas de Buenos Aires, necessaires de couro lindas, imãs, camisetas e várias outras bugigangas que turistas adoram – e eu, obviamente, também. Tudo bem baratin e fofo. Dá pra ver aí na foto o estrago que foi né? O domingo terminou com uma ida ao El Ateneo – uma livraria que fica em um teatro restaurado e maravilhoso. De tirar o fôlego. Parei lá para um cafezinho antes de ir tomar um vinhozinho com alguns amigos de Londrina que encontrei. Um domingo maravilhoso. 

4º dia: Caminito, La Bombonera e outros. O quarto e penúltimo dia foi para conhecer alguns lugares que queria ir mas não tinha tido oportunidade antes. Falaram super bem do Caminito e fui. É realmente bem bonito e muito perto da Bombonera, o estádio do Boca. Vale o passeio para um dia mais tranquilo e é um lugar para turistas, com restaurantes e lojinhas. 

Na parte da tarde fui dar uma voltinha no shopping. Morar em Paraty me fez perceber que não preciso de shopping toda semana. Olha só o sapato que tem em todas as vitrines da cidade…um tênis com uma plataforma bem esquisita…vi algumas argentinas usando e, pelo menos nelas, não fica tão bizarro…mas eu não usaria. Escolhi o shopping Abasto e posso falar? Não estava mesmo no mood de comprar muito e só me encantei com esse casaquinho achanelado da Zara…o preço era BEM melhor que os da Zara no Brasil, uns 140 reais (369 pesos). Me arrependi mesmo….aff! Depois do shopping, fui com o pessoal de Londrina na Plaza de Mayo porque disseram que a Casa Rosada fica ainda mais bonita à noite e…é verdade. Bem linda! Depois disso, vinhozinho delícia e só cheguei no hotel duas da manhã…haja disposição. Precisava dormir pra aproveitar ao máximo meu último dia…amanhã vou postar sobre ele!

Beijo, Naiá

Quando me apaixonei por Buenos Aires – parte 1

Prometi e vou cumprir. Tentarei resumir a minha viagem de cinco dias em Buenos Aires em dois posts – um foi impossível – e depois vou postar alguns lugares detalhadamente. Sim, eu me apaixonei pela capital argentina. A cidade é linda por inteiro e cada cantinho que você visita encontra algo especial,  mágico. Amei os restaurantes, os passeios que fiz, o atendimento, as voltinhas sem compromisso, os jantares sozinha, os vinhos. Então vou tentar passar pra vocês um pouquinho da minha experiência para quem estiver de viagem marcada ou pretende ir algum dia para a cidade – coisa que recomento muito.

Saí de São Paulo na sexta-feira com a minha avó, Clô. Fomos juntas na viagem e, como combinado, cada uma ficou fazendo o que preferia, já que tínhamos preferências diferentes. Como viajei praticamente sozinha, recomendo muito a experiência. Achei incrível, você aproveita o dia do modo que preferir, conhece pessoas, curte sua própria companhia. Adorei e pretendo repetir – coisa que farei muito em breve, aguardem novidades #suspense

1° dia – A chegada: chegamos na sexta-feira, dia 21 de setembro, às 17h no aeroporto de Ezeiza, em Buenos Aires. Pegamos um taxi ali mesmo do aeroporto para o nosso hotel e pagamos 200 pesos (cerca de 80 reais) no trajeto porque o aeroporto fica bem longe da cidade. Chegamos no hotel, deixamos nossas coisas e saímos. Ficamos no Pop Hotel (Juan Ramirez Velasco 793, Villa Crespo) porque ele era bem avaliado e adoramos as instalações e o atendimento. Ele fica naquela região dos outlets e é bem novinho. No final da viagem, constatamos que teria sido melhor ficar em um hotel perto da Avenida 9 de Julho, Calle Florida ou ali por aqueles lados no centro mas só pela localização mesmo. Enfim, decidimos ir para uma rua bem legal chamada Lavalle. Jantamos e, como minha vó foi fazer as coisas dela, fui passear sozinha à noite. Lá é bem tranquilo durante a noite, bem movimentado e iluminado. Andei um pouco e decidi ir para o hotel porque estava beem cansada e o metrô fechava em alguns minutos. Lá fiz  quase tudo de metrô e achei super tranquilo, mas não pode bobear com bolsa e dinheiro – fui roubada no último dia porque me distrai com a bolsa, pode? hahaha

2° dia – À procura das feirinhas de antiguidades. Quando comecei a pesquisar os lugares para ir em Buenos Aires, vi muita gente na internet dizendo que a cidade é cheia de feiras de antiguidades. E no segundo dia fui à caça. Já aproveitei que queria conhecer o cemitério da Recoleta e acordei bem cedinho – oito da manhã! – tomei um café delicioso na Pizzaria Império, as famosas empanadas, peguei um ônibus e fui. Sim, comi muitíssimo bem na viagem mas praticamente só andei de metrô e ônibus, que funcionam muito bem na cidade e não deixam a desejar. Como estava sozinha, mesmo o táxi lá sendo barato, não valia tanto a pena assim. Dei uma volta pelo cemitério – e é lindo. Gente, parece macabro ir passear no cemitério mas é lindíssimo e um ponto turístico. A Evita Perón e vários outros políticos, principalmente ex-presidentes, estão enterrados lá em mausoléus chiquérrimos, vários deles projetados por importantes arquitetos argentinos. Da feira eu não gostei tanto assim. Ela deveria ser classificada como feira de artesanato, porque vi pouquíssimas antiguidades lá e só uma barraca de roupas usadas. Mas vale o passeio no sábado de manhã pra conhecer o cemitério e dar uma volta pelo bairro, que é bem fofo. Tomei um chopinho por lá, estudei muito meu mapa e decidi ir procurar uns brechós e lojinhas na Avenida Santa Fé que não era longe dali. 

Andei muito e encontrei uma Galeria chamada Galeria 5ª Avenida, que tem vários brechós, mas muitos deles estavam fechados no sábado. Achei o preço bem razoável – média de 100 pesos mas não comprei nada. Dei uma voltinha pela Santa Fé, encontrei um Starbucks (e, pelo menos na argentina, alguém escreveu meu nome certo…coisa que no Brasil é quase impossível) e lógico que parei pra me deliciar com um café. Aliás, lá tomei cafés incríveis – e nada baratos, um expresso saia por mais ou menos 8 reais, mas deliciosos. É uma coisa que não me arrependia de tomar porque valiam mesmo a pena. Depois encontrei várias lojas modernas e com preço bem ok. Comprei as duas calças da montagem, uma rosa pastel e uma com estampa étnica. No fim do dia, depois de deixar as sacolas no hotel, tomar um banho bem quentinho, fui jantar em um pub sozinha. Todo mundo me olhava meio estranho, como se eu tivesse esperando alguém, mas não me senti mal não. O nome do pub era 878 e é bem gostoso, mas como a maioria dos lugares de Buenos Aires, a comida era carinha (uns 100 pesos com comida e bebida). Voltei para o hotel cedo, lá pra meia noite e o dia seguinte seria longo: fui pro lugar que mais amei de Buenos Aires, a feirinha de San Telmo (♥)!

Amanhã posto a segunda e última parte da viagem. Gostaram do formato do post?

Naiá

Prazer, consumista.

O nome da loja não se encaixaria melhor para nós, mulheres, sobre a paixão que é comprar. Mas todo mundo sabe que o Moda Possível é um blog que fala sobre consumo sim, mas com consciência. E nada melhor do que uma loja virtual que atende aos nossos impulsos mas com preço super convidativo, não é? A loja Prazer, Consumista da minha querida amiga Thaís Modolo tem vários acessórios como bolsas, maxi colares, lenços, anéis e muitos outros com preço incrível. Inaugurou hoje na internet – parabéns amiga e muito sucesso! – e quem comprar hoje tem 10% de desconto. Mas não é só isso: para as leitoras do Moda Possível que quiserem comprar até amanhã (02 de outubro) também terão 10% de desconto. É só usar o código promocional MODAAQUI no final da compra.

Como estou numa fase “acessório é tudo”, selecionei alguns itens que amei pra vocês verem:

Morri de paixão pior essa capinha de iphone, pela bolsa de franjas, pelo lenço, pelo colar, pelos brincos, ai, por tudo! Para acessar, é só clicar aqui.

Naiá

Ps: Só pra ficar claro, este não é um publipost. É indicação de uma loja de uma amiga e só estou fazendo publicidade porque acompanhei o sonho dela, gostei dos produtos e acredito na loja.

A única compra de brechó de Buenos Aires

Depois de alguns dias sumida, tô de volta! E, como primeiro post pós viagem, vou mostrar minha única aquisição de brechó em Buenos Aires. Minha ideia era visitar a maior quantidade de brechós que eu pudesse mas, chegando lá, decidi que essa não seria uma boa forma de aproveitar a viagem e só fui em alguns que estavam pelo caminho. Buenos Aires é uma cidade linda, enorme e cheia de pontos interessantes para conhecer…como fiquei só 4 dias, queria conhecer a cidade e não quis focar só nos brechós. Além disso, muitas coisas acabam sendo bem caras nos brechós de Buenos Aires e fica até mais vantajoso comprar nas lojas mesmo. Fui em um dos mais famosos da cidade, o Juan Perez e o preço era absurdo. Várias peças custavam uns 500 pesos (uns 200 reais) e outras mais de mil pesos…impensável. Sendo que nas lojas do centro as peças custavam de 200 a 300 pesos.
O lugar mais bacana para comprar peças usadas, na minha opinião, é nos arredores da feira de San Telmo, que acontece todos os domingos e é simplesmente o lugar mais incrível de Buenos. Música, artesanato, comidinhas e cultura reunidos e tudo com um preço beeem bacana. Nas barraquinhas da feira vendem basicamente coisas novas, artesanato ou peças de decoração antigas, mas no Mercado San Telmo é cheio de stands de usados. Em um deles, achei essa bolsa meio estilo baú que virou, de verdade, minha bolsa preferida da vi-da:

20121001-083332.jpg
Me apaixonei pelo modelo e o preço era bem convidativo para a cidade: 90 pesos (cerca de 35 reais). A maioria das peças de brechó custava essa faixa de preço, entre 60 e 120 pesos e achei linda demais para deixá-la lá. Por dentro ela está meio estragadinha mas por fora, perfeita.
Ela é bem espaçosa e usei bastante na viagem.
A questão polêmica é o material: perguntei para a vendedora (no meu portunhol horrendo) qual era o material e ela simplesmente disse “cuero” (acho muito engraçada essa palavra). Fui embora tranquila mas quando cheguei ao hotel encafifei. De qualquer forma, como era uma bolsa usada fico mais tranquila, porque não compraria uma bolsa nova que não fosse sintética ou de couro bovino.

E aí, qual a opinião de vocês sobre o assunto?
Naiá