Riscando da wish list: Chelsea Boots

photo (34)

É, se existem alguns “hits de Londres”, com certeza as famosas Chelsea Boots estão entre eles. Opa, não sabe o que é? Relaxa porque eu também não sabia. Só via nos pezinhos das meninas mais estilosas pelas ruas e sabia que era meu tipo de bota preferido: cano curto, sem salto, de couro e preta. No Brasil, em vez do nome chiquetoso de Chelsea, já vou logo chamando de botinha do Chico Bento mesmo, porque elas parecem – e muito! – aquelas botinhas da minha infância.

Comprei há menos de uma semana na Urban Outfitters e já não largo mais. São confortáveis – esse saltinho pequeno é mais fácil de aguentar por horas do que um All Star. Foi a primeira coisa que ‘me dei’ de presente depois de receber o primeiro salário…custava 75 libras mas teve um desconto de 20% e saiu por 60. Não é barato, é o preço básico de uma bota no brasil (em média uns 200 reais) mas com certeza valeu a pena.. Ah…e a Urban Outfitters…que amor! Tô apaixonada pela loja e, se pudesse, torraria todo meu dinheirinho lá. Tem várias espalhadas por Londres mas, para minha (in)felicidade, vai abrir uma DO LADO do meu trabalho…ai meu poundinhos viu!

photo (35)Sei que muita gente já conhecia e, para os brasileiros, falar de bota no calor absurdo que tá fazendo aí é insanidade, né? Mas é uma dica boa para o próximo inverno, tenho certeza que as Chelsea vão bombar.

Beijo, Naiá

 

Look do dia: um ‘up’ no uniforme

Oi meninas! A vida aqui em Londres continua corrida…estou trabalhando bastante na Bershka e beeem cansada. Mas não dá pra culpar o cansaço na hora de me arrumar e decidi dar uma incrementada no uniforme de trabalho. O look é direto do espelho da loja pra vocês. Aqui geralmente nos montamos em camadas e várias peças acabam entrando no look inverno. O meu item preferido dos últimos dias é a nova peça que comprei como uniforme na Bershka: o jumper com spikes que é mega coringa e dá uma super diferença. Amando demais! Pra incrementar o look sóbrio, rolou uma sobreposição de uma meia mais compridinha usada acima da bota…tô adorando esse truque! Meu próximo passo vai ser comprar uma over knee e usar, veremos.

A verdade é que o look é composto, basicamente, por peças de brechó e da Primark. Pra quem não conhece, a Primark – a famoooosa! – é uma das loja mais populares de Londres e tem coisas mega baratas.Tem várias espalhadas pela cidade, vive lotada e é o point principal dos turistas…acredito que receba mais gente que os principais pontos turísticos daqui viu? hahaha

Tem camisas por 6 libras, colares por 4, bolsas por 10…uma LOUCURA. A parte ruim é que trabalho do lado da maior Primark de Londres e isso significa que todo tempo livre que tenho dou uma passadinha por lá. Em uma dessas passadinhas comprei essa bolsa…a cor é incrível, o modelo é ótimo – meio baú, com alça que mistura correntes e o material da própria bolsa – e o melhor: o tamanho é excelente. Tudo isso por 9 pounds, AMOR, AMOR! photo (28)

Versão um: o que usei durante o dia no trabalho. photo (29)

Versão dois: encapotada pra sair no frio insano que fez em Londres. photo (27)

photo (30)

Suéter: Bershka

Shorts: The Jeans Boutique (Londrina)

Meia calça: Primark (2 libras)

Bolsa: Primark (9 libras)

Casaco: Brechó British Heart Foundation (127 Kings Strett, no bairro de Hammersmith, em Londres) 7 libras!

Gorro: British Heart Foundation (3 libras)

Cachecol: Primark (4 libras)

Bota: Zara (Brasil)

No post dos uniformes comentaram que faltou uma ‘cor’. Realmente faltou mas gente, aqui, principalmente no inverno, o preto reina absoluto. Isso é bem diferente do Brasil, apesar de eu amar preto, mas aqui geralmente as pessoas usam looks quase completamente em preto variando os tecidos e texturas. A cor fica por conta de um batom, um acessório que dê uma alegrada mas, de fato, preto é muito coringa no inverno e vai com tudo. Tentei dar uma incrementada num look que, certamente, seria com uma meia calça opaca em vez da meia calça de poás. O que acharam? Gostaram?

Naiá

Os uniformes de trabalho de Londres

Às vezes me pego pensando que em muitas coisas aqui em Londres dei uma super sorte. Contei para vocês que estou trabalhando na Bershka, né? É uma loja bem “trendy” da mesma companhia da Zara (e de outras marcas mais conhecidas por aqui, como Massimo Dutti, Pull & Bear, Stradvarius e também a Zara Home, claro). Aqui na Europa a loja é conhecida mas acredito que tenha um estilo um pouco “too much” para o Brasil, sabe? Gosto das peças de lá mas prefiro o básico trendy da Zara em vez do “mais é mais” da Bershka. Mas enfim, acredito que dei sorte trabalhando lá porque, ao contrário da Zara, em que os funcionários usam terninhos nada modernos e bem sem graça, nós somos obrigados a usar as peças da loja para trabalhar. Para tal, ganhamos um vale de 200 libras pra usar na loja para comprar nosso uniforme…a regra principal é não escolher peças lisas ou de apenas uma cor e preferir os itens mais aparecidos, para chamar a atenção dos clientes da loja. Perfeito, né? Bom, ainda não gastei todo o meu limite – eles pedem pra gente não torrar tudo na primeira semana porque antes do Natal chegam peças novas – e gastei só metade. Decidi mostrar para vocês algumas peças que comprei e, assim que torrar tudo, termino de mostrar o que escolhi.

A peça preferida: calça de onça. Ela é estampada só na frente e eu adorei! Veste meeega bem mas não foi barata…40 libras.

Maxi colar por £10.

 

 

Camisa preta transparente com detalhes em dourado por 20 libras

 

 

Saia com tecido em textura floral por 16 libras

Por último a camiseta com a cruz em paetê (aqui só tem camiseta com cruz…impressionante!) por 20 pounds também.

O total ficou em 105 pounds e acho que fiz compras bacanas…minhas próximas aquisições acho que serão um vestido, um suéter e uma calça burgundy…veremos!

Gostaram das minhas escolhas? Quero a opinião de vocês hein?

Beijos londrinos,

Naiá

 

Look (improvisado) do dia: mix de estampas de brechó

Durante muito tempo na minha vida eu sempre quis definir meu estilo. A gente sempre quer ter certeza se é do tipo clássica, do tipo fashion victim, se não tem nada definido e decide isso todos os dias quando escolhe a roupa. Enfim, pode parecer besteira tentar definir mas uma coisa eu consegui saber: minhas preferências. Já sei qual é a minha cartela de cores, as estampas preferidas e as modelagens que me favorecem. Lógico que isso muda com o tempo e, aos poucos, vamos tirando umas coisas da nossa listinha de preferências e adicionando outras – algumas coisas nunca imaginamos, diga-se de passagem. Tudo isso pra dizer que, como eu acho que vocês perceberam, sou apaixonada pela mistura de preto com branco. Seja em peças lisas usadas juntas ou estampas que misturam as duas cores.

Está um pouco difícil tirar fotos dos looks mas estou tentando da melhor maneira possível. Sei que foto de espelho é TENSO mas é o único jeito por enquanto. Outra coisa é que ainda estou aprendendo, aos poucos, a me vestir em Londres. Não é fácil ficar quentinha e estilosa ao mesmo tempo e confesso que estou apanhando nesse quesito.

O look de hoje é todo de brechó exceto pelas sapatilhas…tudo comprado aqui em Londres. Olhem só:

Saia brechó British Heart Foundation (em Killburn, Londres) 3 libras
Suéter Zara: Brechó Fara Charity (em Shepherds Bush) 6 libras
Trench coat: Brechó Cancer Research (em Killburn também) 7 libras.
Sapatilha: Ballasox

E aí, gostaram? As fotos ficaram horríveis, hunf…estou tentando melhorar isso tá?

Naiá

 

 

 

Primeiras compras de Londres

Oi meninas! Estou um pouco sumida mas, assim que tudo ficar normal por aqui prometo aparecer com várias dicas da Inglaterra pra vocês! Enquanto não arranjo um emprego, estou comprando pouca coisa mas não resisto àquelas coisinhas baratas e fofas, né?

Vou mostrar um pouco dos itens baratinhos daqui:

 

Já falei no outro post que sou viciada na loja “Poundland”, né? Todos os itens foram comprados por 1 pound (1 libra, R$3.60) Só o balm rosa não é da Poundland, é da Boots, mas também custou 1 libra.

Vocês acreditam que comprei produtos ‘genéricos’ dos da benefit por R$3,50? Esse blush líquido é bem parecido com o da Benefit e o iluminador ainda não testei! E esse bronzeador em bolinha? Bafo! Estou adorando e me sentindo “a bronzeada” aqui. O shampoo da Swarzploft (não consigo pronunciar Schwarzkopf nem por decreto) também foi 1 pound, ô beleza! Já testei e é bom demaaaaaaaaaais!

Já comprei algumas coisas nos brechós e logo posto aqui pra vocês! Ainda estou acostumando a postar daqui, portanto, por favor, perdoem!

Beijo, Naiá

 

Sorteio Ballasox

Desde que recebi as minhas sapatilhas Ballasox não penso em usar outra coisa. Elas são minha opção porque, além de mega confortáveis, são lindas e combinam com tudo. Por isso, fiquei super feliz com a possibilidade de poder sortear um par de Ballasox para alguma leitora do blog! Demais…

A ganhadora vai levar a sapatilha igualzinha à minha…um amarelo incrível e super atual!Linda, né?

Já usei muito a minha e ela já apareceu aqui no blog. Separei alguns looks com ela para vocês lembrarem:

As regras:

  • Residir no Brasil
  • Preencher corretamente o formulário
  • É perimitido apenas uma participação por pessoa

O resultado do sorteio será anunciado no dia 18 de outubro e a vencedora terá 48h para responder o email.

Meninas, sigam também a Ballasox no facebook e no twitter!

Boa sorte!

UPDATE: A ganhadora irá escolher a numeração da sapatilha, ok?

Brechó em São Paulo: Paróquia São Luís Gonzaga

Vocês lembram daquela participação especial da leitora Roberta Barrocas sobre um brechó em plena Avenida Paulista? Sempre procurei algum brechó baratéx na região e decidi conferir logo no dia seguinte e contar para vocês. Realmente, a Roberta mandou uma super dica pro blog e eu amei. 

O brechó em questão acontece mensalmente na Paróquia São Luís Gonzaga, ali na entrada do lado direito, próxima à recepção. Cada mês o bazar ocorre em uma data e são as instituições vinculadas à paróquia as responsáveis por organizá-los. 

O brechó é apoiado pela paróquia e organizado por voluntários das instituições. Quando fui, tinha bastante gente por lá e acredito que o bazar seja bem conhecido. Aconselho a ir no primeiro ou segundo dia para aproveitar as melhores peças. Anota aí: o próximo bazar vai acontecer de 22 a 26 de outubro lá na Paróquia durante o dia. Se você trabalha por ali, vale a pena dar uma escapadinha até lá durante o horário de almoço, hein? 

A Paróquia São Luís Gonzaga fica na Avenida Paulista, número 2378, no cruzamento com a Bela Cintra. Para saber quais os próximos bazares, o telefone para contato da igreja é o (11) 3120-3839.

As compras de Buenos Aires – roupas

Perguntei lá na fan page do blog (aqui!) se o post de hoje deveria ser sobre as roupas ou as maquiagens que comprei em Buenos Aires e a maioria votou nas roupas. Meu objetivo na viagem era, lógico, aproveitar a cidade, passear muito e não ficar só entrando em lojas o dia todo. Mas como é inevitável sair sem nenhuma compra, consegui riscar alguns itens da minha lista de desejos: a tal da calça colorida e uma legging estampada. 

A legging com estampa étnica não é uma peça fácil de usar não. Escolhi tons que amo, como o preto e o branco mas precisa ter muito cuidado pra não ficar meio Suellen.  Ainda estou pensando num look pra usar com ela mas não cheguei a uma conclusão. Custou 210 pesos que equivale a cerca de 80 reais e foi comprada na loja Ona Saez, na Avenida Santa Fé.

Já a calça colorida (não consegui definir a cor…às vezes acho que é um tom meio pastel, às vezes um tom neon beeem suave…que dúvida! o que acham? ) é uma peça bem fácil de usar. Prefiro misturar com tons neutros como o branco, bege, preto, cinza e variações que fica bem chique e não fica com aquela cara de Restart que eu tinha tanto medo. Foi comprada na loja La Luna, também na Avenida Santa Fé e custou 230 pesos, mais ou menos 90 reais.

A meia-calça de poás eu já estava querendo uma há algum tempo…foi 40 pesos, uns 15 reais.

A camiseta preta foi comprada na loja Todo Moda, uma loja bem baratinha de acessórios, makes e outras bugigangas que tem em vários lugares de Buenos Aires. É uma loja tem-que-ir! Custou 50 pesos – mais ou menos 20 reais.

Essas foram as comprinhas de Buenos Aires, fui contida, não fui? Vocês gostaram?

Naiá

Quando me apaixonei por Buenos Aires – parte 2

Continuando o diário de viagem, os dias três e quatro foram sensacionais. Gente, não vai dar para fazer tudo em só dois posts, portanto, teremos três. Para começar a parte dois, o lugar que mais gostei…

3º dia – A maravilhosa de San Telmo. Comecei o dia bem cedo e já usei a minha calça nova comprada no dia anterior #ansiosa. Me arrumei e fui tomar café em um lugar que já conhecia, a Pizzaria Império. Que delícia! No caminho, já me deparei com uma dupla tocando jazz em pleno metrô. A primeira (boa) surpresa do dia que me fez abrir um baita de um sorriso sozinha, aquele sorriso aberto que fiz “que privilégio viver isso”. Adoro quando isso acontece, acho que é o momento, mesmo inconsciente, de agradecermos pelo que estamos vivendo, sabe? E viajar é um dos melhores jeito de contemplamos esses pequenos e mágicos instantes. Peguei um ônibus e cheguei em San Telmo, um dos lugares que mais queria ir durante a viagem. Conheci procurando por dicas na internet, todo mundo falava muito bem da tal da Feira de San Telmo. Juro que depois de me decepcionar um pouco com a da Recoleta, estava apreensiva de acontecer a mesma coisa. Mas não! A feira de San Telmo é tudo o que falaram e muito muito mais. É imensa (tem umas 8 quadras de extensão) e tem tudo tudo tudo de mais legal no mundo: artesanato, antiguidades, artigos novos e o que mais amei: música boa no meio da rua. Para vocês terem uma noção, tinha uma orquestra que tocava tango maravilhosamente bem fazendo uma apresentação bem lá no vuco-vuco da feira. Fiquei meio de queixo caído vendo aquela coisa linda acontecer bem em um lugar que não esperava. Na verdade, em quase todo lugar eu ficava boquiaberta com tanta beleza, mas juro que moraria lá tranquilamente. O melhor de tudo é o preço, que é ótimo em todas as barracas que vi. Fiquei umas três horas por lá e ficaria bem mais, mas é bem cansativo ficar passeando por tanto tempo. Para usados, acho que o melhor lugar é na própria rua da feira, mas dentro do Mercado San Telmo, que tem vários stands bacanas. Foi lá que comprei a bolsa que falei aqui. A primeira foto é do Mercado, a segunda do meu almoço (com vinho, claro…só tô postando foto de bebida aqui, vocês vão me achar uma cachaceira). A terceira é meu café do amor, muito fofo…e a última da orquestra tocando tango no meio da rua, de arrepiar!

Lá comprei lembrancinhas de Buenos Aires, necessaires de couro lindas, imãs, camisetas e várias outras bugigangas que turistas adoram – e eu, obviamente, também. Tudo bem baratin e fofo. Dá pra ver aí na foto o estrago que foi né? O domingo terminou com uma ida ao El Ateneo – uma livraria que fica em um teatro restaurado e maravilhoso. De tirar o fôlego. Parei lá para um cafezinho antes de ir tomar um vinhozinho com alguns amigos de Londrina que encontrei. Um domingo maravilhoso. 

4º dia: Caminito, La Bombonera e outros. O quarto e penúltimo dia foi para conhecer alguns lugares que queria ir mas não tinha tido oportunidade antes. Falaram super bem do Caminito e fui. É realmente bem bonito e muito perto da Bombonera, o estádio do Boca. Vale o passeio para um dia mais tranquilo e é um lugar para turistas, com restaurantes e lojinhas. 

Na parte da tarde fui dar uma voltinha no shopping. Morar em Paraty me fez perceber que não preciso de shopping toda semana. Olha só o sapato que tem em todas as vitrines da cidade…um tênis com uma plataforma bem esquisita…vi algumas argentinas usando e, pelo menos nelas, não fica tão bizarro…mas eu não usaria. Escolhi o shopping Abasto e posso falar? Não estava mesmo no mood de comprar muito e só me encantei com esse casaquinho achanelado da Zara…o preço era BEM melhor que os da Zara no Brasil, uns 140 reais (369 pesos). Me arrependi mesmo….aff! Depois do shopping, fui com o pessoal de Londrina na Plaza de Mayo porque disseram que a Casa Rosada fica ainda mais bonita à noite e…é verdade. Bem linda! Depois disso, vinhozinho delícia e só cheguei no hotel duas da manhã…haja disposição. Precisava dormir pra aproveitar ao máximo meu último dia…amanhã vou postar sobre ele!

Beijo, Naiá

Quando me apaixonei por Buenos Aires – parte 1

Prometi e vou cumprir. Tentarei resumir a minha viagem de cinco dias em Buenos Aires em dois posts – um foi impossível – e depois vou postar alguns lugares detalhadamente. Sim, eu me apaixonei pela capital argentina. A cidade é linda por inteiro e cada cantinho que você visita encontra algo especial,  mágico. Amei os restaurantes, os passeios que fiz, o atendimento, as voltinhas sem compromisso, os jantares sozinha, os vinhos. Então vou tentar passar pra vocês um pouquinho da minha experiência para quem estiver de viagem marcada ou pretende ir algum dia para a cidade – coisa que recomento muito.

Saí de São Paulo na sexta-feira com a minha avó, Clô. Fomos juntas na viagem e, como combinado, cada uma ficou fazendo o que preferia, já que tínhamos preferências diferentes. Como viajei praticamente sozinha, recomendo muito a experiência. Achei incrível, você aproveita o dia do modo que preferir, conhece pessoas, curte sua própria companhia. Adorei e pretendo repetir – coisa que farei muito em breve, aguardem novidades #suspense

1° dia – A chegada: chegamos na sexta-feira, dia 21 de setembro, às 17h no aeroporto de Ezeiza, em Buenos Aires. Pegamos um taxi ali mesmo do aeroporto para o nosso hotel e pagamos 200 pesos (cerca de 80 reais) no trajeto porque o aeroporto fica bem longe da cidade. Chegamos no hotel, deixamos nossas coisas e saímos. Ficamos no Pop Hotel (Juan Ramirez Velasco 793, Villa Crespo) porque ele era bem avaliado e adoramos as instalações e o atendimento. Ele fica naquela região dos outlets e é bem novinho. No final da viagem, constatamos que teria sido melhor ficar em um hotel perto da Avenida 9 de Julho, Calle Florida ou ali por aqueles lados no centro mas só pela localização mesmo. Enfim, decidimos ir para uma rua bem legal chamada Lavalle. Jantamos e, como minha vó foi fazer as coisas dela, fui passear sozinha à noite. Lá é bem tranquilo durante a noite, bem movimentado e iluminado. Andei um pouco e decidi ir para o hotel porque estava beem cansada e o metrô fechava em alguns minutos. Lá fiz  quase tudo de metrô e achei super tranquilo, mas não pode bobear com bolsa e dinheiro – fui roubada no último dia porque me distrai com a bolsa, pode? hahaha

2° dia – À procura das feirinhas de antiguidades. Quando comecei a pesquisar os lugares para ir em Buenos Aires, vi muita gente na internet dizendo que a cidade é cheia de feiras de antiguidades. E no segundo dia fui à caça. Já aproveitei que queria conhecer o cemitério da Recoleta e acordei bem cedinho – oito da manhã! – tomei um café delicioso na Pizzaria Império, as famosas empanadas, peguei um ônibus e fui. Sim, comi muitíssimo bem na viagem mas praticamente só andei de metrô e ônibus, que funcionam muito bem na cidade e não deixam a desejar. Como estava sozinha, mesmo o táxi lá sendo barato, não valia tanto a pena assim. Dei uma volta pelo cemitério – e é lindo. Gente, parece macabro ir passear no cemitério mas é lindíssimo e um ponto turístico. A Evita Perón e vários outros políticos, principalmente ex-presidentes, estão enterrados lá em mausoléus chiquérrimos, vários deles projetados por importantes arquitetos argentinos. Da feira eu não gostei tanto assim. Ela deveria ser classificada como feira de artesanato, porque vi pouquíssimas antiguidades lá e só uma barraca de roupas usadas. Mas vale o passeio no sábado de manhã pra conhecer o cemitério e dar uma volta pelo bairro, que é bem fofo. Tomei um chopinho por lá, estudei muito meu mapa e decidi ir procurar uns brechós e lojinhas na Avenida Santa Fé que não era longe dali. 

Andei muito e encontrei uma Galeria chamada Galeria 5ª Avenida, que tem vários brechós, mas muitos deles estavam fechados no sábado. Achei o preço bem razoável – média de 100 pesos mas não comprei nada. Dei uma voltinha pela Santa Fé, encontrei um Starbucks (e, pelo menos na argentina, alguém escreveu meu nome certo…coisa que no Brasil é quase impossível) e lógico que parei pra me deliciar com um café. Aliás, lá tomei cafés incríveis – e nada baratos, um expresso saia por mais ou menos 8 reais, mas deliciosos. É uma coisa que não me arrependia de tomar porque valiam mesmo a pena. Depois encontrei várias lojas modernas e com preço bem ok. Comprei as duas calças da montagem, uma rosa pastel e uma com estampa étnica. No fim do dia, depois de deixar as sacolas no hotel, tomar um banho bem quentinho, fui jantar em um pub sozinha. Todo mundo me olhava meio estranho, como se eu tivesse esperando alguém, mas não me senti mal não. O nome do pub era 878 e é bem gostoso, mas como a maioria dos lugares de Buenos Aires, a comida era carinha (uns 100 pesos com comida e bebida). Voltei para o hotel cedo, lá pra meia noite e o dia seguinte seria longo: fui pro lugar que mais amei de Buenos Aires, a feirinha de San Telmo (♥)!

Amanhã posto a segunda e última parte da viagem. Gostaram do formato do post?

Naiá

Prazer, consumista.

O nome da loja não se encaixaria melhor para nós, mulheres, sobre a paixão que é comprar. Mas todo mundo sabe que o Moda Possível é um blog que fala sobre consumo sim, mas com consciência. E nada melhor do que uma loja virtual que atende aos nossos impulsos mas com preço super convidativo, não é? A loja Prazer, Consumista da minha querida amiga Thaís Modolo tem vários acessórios como bolsas, maxi colares, lenços, anéis e muitos outros com preço incrível. Inaugurou hoje na internet – parabéns amiga e muito sucesso! – e quem comprar hoje tem 10% de desconto. Mas não é só isso: para as leitoras do Moda Possível que quiserem comprar até amanhã (02 de outubro) também terão 10% de desconto. É só usar o código promocional MODAAQUI no final da compra.

Como estou numa fase “acessório é tudo”, selecionei alguns itens que amei pra vocês verem:

Morri de paixão pior essa capinha de iphone, pela bolsa de franjas, pelo lenço, pelo colar, pelos brincos, ai, por tudo! Para acessar, é só clicar aqui.

Naiá

Ps: Só pra ficar claro, este não é um publipost. É indicação de uma loja de uma amiga e só estou fazendo publicidade porque acompanhei o sonho dela, gostei dos produtos e acredito na loja.

A única compra de brechó de Buenos Aires

Depois de alguns dias sumida, tô de volta! E, como primeiro post pós viagem, vou mostrar minha única aquisição de brechó em Buenos Aires. Minha ideia era visitar a maior quantidade de brechós que eu pudesse mas, chegando lá, decidi que essa não seria uma boa forma de aproveitar a viagem e só fui em alguns que estavam pelo caminho. Buenos Aires é uma cidade linda, enorme e cheia de pontos interessantes para conhecer…como fiquei só 4 dias, queria conhecer a cidade e não quis focar só nos brechós. Além disso, muitas coisas acabam sendo bem caras nos brechós de Buenos Aires e fica até mais vantajoso comprar nas lojas mesmo. Fui em um dos mais famosos da cidade, o Juan Perez e o preço era absurdo. Várias peças custavam uns 500 pesos (uns 200 reais) e outras mais de mil pesos…impensável. Sendo que nas lojas do centro as peças custavam de 200 a 300 pesos.
O lugar mais bacana para comprar peças usadas, na minha opinião, é nos arredores da feira de San Telmo, que acontece todos os domingos e é simplesmente o lugar mais incrível de Buenos. Música, artesanato, comidinhas e cultura reunidos e tudo com um preço beeem bacana. Nas barraquinhas da feira vendem basicamente coisas novas, artesanato ou peças de decoração antigas, mas no Mercado San Telmo é cheio de stands de usados. Em um deles, achei essa bolsa meio estilo baú que virou, de verdade, minha bolsa preferida da vi-da:

20121001-083332.jpg
Me apaixonei pelo modelo e o preço era bem convidativo para a cidade: 90 pesos (cerca de 35 reais). A maioria das peças de brechó custava essa faixa de preço, entre 60 e 120 pesos e achei linda demais para deixá-la lá. Por dentro ela está meio estragadinha mas por fora, perfeita.
Ela é bem espaçosa e usei bastante na viagem.
A questão polêmica é o material: perguntei para a vendedora (no meu portunhol horrendo) qual era o material e ela simplesmente disse “cuero” (acho muito engraçada essa palavra). Fui embora tranquila mas quando cheguei ao hotel encafifei. De qualquer forma, como era uma bolsa usada fico mais tranquila, porque não compraria uma bolsa nova que não fosse sintética ou de couro bovino.

E aí, qual a opinião de vocês sobre o assunto?
Naiá

Look do sábado: cinza e branco (de novo!)

Pelo look de hoje não dá para negar que gostei mesmo da cartela de cores do look de quarta-feira. Já aproveitei a inspiração dos tons e usei a mesma camiseta de manga longa mescla, o lenço de seda maravilhoso e complementei com outros itens que levei na mala (fui pra São José dos Campos visitar o namorado). É, estou em uma fase shorts-saia-calça brancos. Deu pra perceber? Depois que comprei essa minha calça estou amando fazer looks com ela. Pode parecer uma peça simples até demais, mas a versatilidade dela a torna essencial para qualquer armário. E pensar que vivi tanto tempo sem essa belezinha! Como pude? hehehe. Bom, se alguém quer uma dica de amiga, a minha é: compre uma calça branca que te sirva bem. Pode ser flare, skinny ou reta, do tecido que preferir, não importa. Só é importante ter cuidado para o tecido não ser muito fino e transparente.

Sem mais enrolação, o look do sábado para ir almoçar com a família do André no shopping, depois um cineminha e, por fim, um churrasco com os amigos do cunhado. 

Calça branca – Loja Le Ventana (Rua José Paulino, número 158, Bom Retiro).
Blusa – Renner
Cinto – Loja virtual O artífice
Bolsa – Moss
Slipper – Marella

Achados das leitoras – Érica Franco e Samira de Castro

Oi meninas! Hoje duas leitoras vão mostrar as peças incríveis que escolheram nos brechós: a Érica Franco, de Juiz de Fora e a Samira de Castro, de Brasília. Vamos ver o que elas compraram?

A Érica achou essa saia lápis incrível de couro por apenas R$18. A saia foi comprada no Brechó Mega Chumbrega (amei esse nome, acho que o pessoal escolhe nomes super engraçados e originais para os brechós e morro de rir), que fica na Avenida dos Andradas, em Juiz de Fora, MG. Nem preciso falar que a saia é maravilhosa, né? A Érica disse que ainda estava em dúvidas em relação à cor e talvez tinja de preto. Sou a favor de ‘reformas’ nas peças e, se ela acha que vai usar mais, super apoio o tingimento.

E as escolhas da Samira: o blazer bege da Zara – super novinho – e um maxi colar lindo. O blazer custou R$59 e o colar R$29 no brechó Peça Rara, em Brasília. Ele está localizado na rua SCSL, número 307, na loja 03 do bloco C. O telefone para contato é o (61) 3242-6707 ou o (61) 3242-2666. E o brechó também tem site! Amei as peças, Samira, clássicas e lindas.

Quem quiser mandar fotos dos achados de brechó é só me escrever no modapossivelblog@gmail.com.

Gostaram? Eu AMEI e estou gostando demais de ver as compras de vocês nos brechós por aí.

Naiá

Look do dia: navy de brechó por R$24

Oi meninas! Voltei! Fiquei alguns dias dando um tempo do computador – e, confesso, vestindo a roupa mais confortável do armário – aproveitando o feriado com a família e curtindo minha irmãzinha que veio para Paraty. Não ando muito inspirada para me vestir mas, como fomos almoçar no domingo, coloquei uma roupa mais arrumadinha e decidi fotografar o look meio navy de ontem. Como sempre, um look simples…

 

 

Camisa – Brechó Euromodas (Londrina) R$15
Shorts – Brechó Igreja São Francisco (Paraty) R$3
Cinto Brechó Avenida Mascote (São Paulo) R$6
Bolsa AC Brazil
Sapatilha Ballasox

Espero que gostem!

Naiá

Os looks da semana

Segunda-feira é dia dos looks casuais da semana. Confesso que não estava muito inspirada para me vestir esses dias, tive uma mini crise com o meu armário: faltam calças mais coloridas, estampadas, um maxi colar bonito…enfim. Mas tenho que ter foco para viajar! Foco, foco foco…ai ai!

No fim das contas, curti o resultado final das produções. E acabei fazendo uma reflexão: acho interessante nos contentarmos com as peças que temos no armário e não ficar sempre achando que estão faltando mil coisas, que não temos nada para vestir e que torrar nas compras seria a salvação. Não é. E às vezes a dor de cabeça de ter gastado demais supera a felicidade em ter comprado peças novas. Quando temos um armário inteligente (traduzindo: peças clássicas e funcionais + alguns itens que fazem a diferença, como estampas e determinadas ‘tendências’), não é preciso comprar muita coisa, é só lembrar daqueles itens mais antigos e esquecidos no fundo da gaveta. Em tempos de redução de gastos, não podemos deixar de pensar no que realmente é necessário e o que é supérfluo.

Look de quinta: Calça Zara • Blusa Hering (presente) • Casaco C&A • Bolsa Brechó da Adriana (Paraty) • Sapatilha Ballasox

E, durante a minha crise com o armário, desejando uma calça diferente, lembrei que tinha uma burgundy guardadinha! Incrível como, na ânsia por novas compras, nos esquecemos do que temos, né? Hunf!

Blusa Brechó UNIBES (São Paulo) • Calça burgundy Loja Sul Center (Londrina) • Trench Coat Brechó da Av. Mascote (São Paulo) • Sapatilha Ballasox • Bolsa Moss

E o namorado chegou na sexta-feira e revirei o armário para achar alguma coisa legal pra vestir. Não achei. Daí fui no clássico, com o cardigan de onça que só não é usado quando está lavando…o look é quase todo de brechó:

Blusa preta Brechó Augusta (São Paulo) • Cardigan onça loja KSV Fashion (Bom Retiro, São Paulo).• Saia brechó da Irene (Em Bauru, na Avenida Rodrigues Alves, entre Saint Martin e Araújo Leite) • Bota Brechó Madre Leônia (Londrina) • Bolsa (mesma do primeiro look!) Brechó da Adriana (Paraty).

E, por fim, o look do sábado: Saia Zoomp (só dá ela aqui no blog…só uso a bichinha! • Blusa de caveira comprada no Bom Retiro • Cardigan onça do Bom Retiro também (loja KSV Fashion) • Cinto Brechó da Av. Mascote (São Paulo) • Bolsa Brechó Catedral (Londrina) • Bota Brechó Madre Leônia (Londrina).

Tudo bem simples! Gostaram?

Naiá

Achados da leitora – Amanda Matiuzzi

Como o Moda Possível anda muito chique ultimamente (quem dera!), os achados da leitora são internacionais. Isso mesmo, a leitora Amanda Matiuzzi enviou seus achados de brechó diretamente de Londres. Ela mora lá há quase um ano e é super adepta aos brechós. Para quem vai viajar para a cidade dos meus sonhos, é ótimo saber de alguns brechós para garimpar peças incríveis e por um preço super baixo. Vamos ver o que a Amanda achou…

Se alguém me falasse que esse blazer saiu da loja eu não duvidaria nem um segundo. Custou 4 libras (mais ou menos R$13). Bafo né?

Esse blazer da GAP também é lindo…a Amanda também pagou 4 libras nele. Incrível né?Amei esse! Foi ainda mais barato que os outros, 3,50 libras ou cerca de R$12 reais.

Vestidinho H&M por 6 libras (cerca de R$20), amei!!!E tchadã, por último a peça que mais amei, estou doida procurando um casaco assim mas só achei na C&A por mais de duzentos reais (bem parecido!) Sabem quanto a Amanda pagou? Cerca de R$20 reais também…inacreditável.

Todas as peças parecem novas, não parecem? Amei! Foram compradas no brechó Fara Charity Shop, que, segundo a Amanda, possui vários endereços em Londres. O que ela comprou fica na Sheperd’s Bush, número 84 em Uxbridge Road.

Adorei a dica e muito mais os achados, Amanda. Obrigada por enviar.

Quem quiser ver seus achados aqui no blog é só enviar um email para modapossivelblog@gmail.com que vou adorar receber!

Naiá

Brechó Possível em promoção

E queremos convidar todo mundo a conferir a promoção do Brechó Possível. O desconto é progressivo: na compra de uma peça, você ganha 10% de desconto; na compra de duas peças, o desconto é de 20% e, na compra de três peças, você ganha 30% de desconto. Não é o máximo?

Acabamos de colocar muita coisa bacana: bolsas, cintos, bijuterias, roupas e outros acessórios garimpados exclusivamente para o Brechó Possível. A promoção é válida até o dia 30 de agosto.

Vejo vocês por lá.

Achados da leitora – Ana Julia

Gente, já falei aqui que amo quando minhas amigas mandam os achados de brechó, né? E hoje tem achados da Ana Julia, minha grande amiga. Ela é mega estilosa e fez vários achados na cidade de Maringá. Eu amei tudo!

Vestido lindo lindo e super diferente com estampa…de leão! Eu achei incrível e super original, coisa que é muito legal de encontrar nos brechós. Detalhe da estampa: E no corpo…amei as fotos Ana! O vestido foi comprado no brechó Garage Sale, em Maringá. Segundo ela, o vestido teve um preço um pouco salgado (R$40), mas valeu o investimento. E o próximo é um macaquinho mega fofo que foi reformado…ele antes:E depois, no corpo. A Ana mudou as mangas, tirou as ombreiras e os botões coloridos, achei que ficou ótimo, olhem só:O macaquinho custou R$10 no brechó Xiquerê.Também no Xiquerê a Ana comprou essa camiseta (fofíssima!) da Iódice por R$5. Amei!E o shorts xadrez por R$15. Olhem só o look com os dois:Adorei!

O Brechó Garage Sale fica na Rua Neo Alves Martins, número 2776, em Maringá. O contato pode ser feito pelo telefone (44) 3031-6051. Já o brechó Xiquerê fica na Avenida Duque de Caxias, também em Maringá, mas não tem telefone.

Anitcha, muito obrigada pelas fotos, amei sua participação no blog e amei as escolhas!

Naiá

 

Novo no meu armário: nude

Voltando às minhas aquisições de brechó, decidi fazer a tag temática só com peças nude que comprei recentemente.

Vestido bem básico e mais social por R$15 em São José dos Campos. Comprei para ir em alguma festa, acho que um vestido nude quebra um galho quando é preciso um vestido sóbrio para alguma festa, deixando toda a atenção para os acessórios, como um sapato diferente, um cinto ou uma clutch.

Falando em clutch…

Comprei também uma clutch nude bem novinha em uma feira beneficente de Bauru por R$12. Assim como o vestido, acho essencial ter algumas bolsas mais chiques no armário…essa é a segunda clutch de brechó que compro, lembram da primeira? Tem foto aqui.

Naiá